sábado, 24 de junho de 2017

Nubank Rewards Programa de Recompensas



O Programa de Pontos Nubank Rewards está em fase final de testes. O Nubank Rewards valerá a pena para quem?


A fintech Nubank vem se destacando na disseminação de seu cartão de crédito sem anuidade nem taxas. 


Uma legião crescente de fãs é reflexo de um cartão fácil de ser solicitado, por meio da internet, e simples de ser gerido, a partir de um aplicativo de celular. Veremos aqui como será o programa de pontos Nubank Rewards.

Tudo é feito pelo app do smartphone, seja o acompanhamento dos gastos, seja a solicitação de maiores limites e até mesmo o bloqueio do cartão, no caso de perda ou roubo do mesmo.
Os concorrentes também estão se mexendo, como pode ser percebido pelo lançamento do cartão de crédito Digio, fruto de uma parceria entre o BB e o Bradesco.

Por tudo isso, é cercado de expectativa o lançamento do programa de fidelidade Nubank Rewards, programa este em testes desde setembro/2016.  Espera-se algo inovador, diferente de tudo que já se viu em se tratando dos programas de milhagem existentes no mercado.

Com as informações disponíveis, já é possível imaginar para quem será interessante esse programa de recompensas. É o que veremos mais adiante.

Como funcionará o Nubank Rewards?


  • Para participar do Nubank Rewards será preciso pagar uma assinatura anual de 190 reais, à vista, ou 12 parcelas de 19 reais.
  • Um ponto será gerado para cada real gasto.  Mais simples do que ter que fazer contas com percentuais de dólar.
  • Os pontos nunca expiram.  Uma ótima notícia, uma vez que os pontos nos concorrentes tem vida útil de 2 ou 3 anos.
  • Os pontos não precisam ser trocados para então serem usados efetivamente, ou seja, não é preciso passar os pontos para uma empresa terceira, como Smiles ou Múltiplos. Ponto para a simplicidade.
  • Gasto feito, ponto acumulado. Não é preciso esperar nem pelo fechamento, nem pelo pagamento da fatura.
  • Os pontos apagam despesas na fatura realizadas com parceiros do programa.
  • Despesas com voos e hotéis também podem ser apagadas.

Quanto valerão os pontos do Nubank?


Para despesas com voos e hotéis, cada 10 mil pontos apagará despesas de 100 reais.

Para pagamentos de parceiros do Nubank Programa de Pontos:

  • Netflix: Com 2 mil pontos será possível apagar um mês de assinatura, hoje na casa de 20 reais.
  • Spotify: 2.500 pontos apagarão uma mensalidade de uso do serviço (atualmente o plano premium custa 16,90 reais e o plano familiar sai por 26,90).
  • UBER: uma viagem que custe entre 10 e 25 reais poderá ser apagada com 3100 pontos.

Vamos às contas:


Uma pessoa que gaste em média 1584 reais por mês e use a pontuação do cartão para pagar hotéis e voos, terá de ganho com o programa de fidelidade o valor equivalente ao que pagou de assinatura. Ou seja, é preciso gastar mais que 1584 reais por mês para o programa começar a valer a pena.

Um outro exemplo: uma pessoa que pague 20 reais por mês de Netflix e que tenha faturas mensais do cartão superiores a 2 mil reais faria uma boa escolha pelo cartão, pois pagaria 190 reais de assinatura anual e deixaria de pagar 240 reais ao Netflix no período.


Vale lembrar:


As pessoas que não tiverem interesse em aderir ao programa Nubank Rewards, poderão seguir com seu cartão de crédito, sem tarifa nem anuidade, como se nada tivesse acontecido. A adesão é voluntária.


Nubank Rewards, resumo:


  • O programa de fidelidade Nubank Rewards pode ser uma alternativa interessante para as pessoas com gastos na casa de 2 mil reais por mês.
  • Pessoas que costumam viajar ou que façam uso dos serviços dos parceiros Netflix, UBER ou Spotify são boas candidatas ao cartão.
  • Dois diferenciais do programa: os pontos não espiram e o fato de não ser preciso o passo intermediário de transferir os pontos para um terceiro, para então ser possível o uso da pontuação obtida.

Quais contas podem ser apagadas da fatura?


Somente as relacionados a gastos com hotéis e voos, utilização de UBER e assinatura mensal do Netflix ou Spotify.  No momento são esses os parceiros.

O Programa de Pontos Nubank Rewards, por um lado, deverá agradar aqueles usuários que fazem uso mais intensivo do cartão de crédito. Aquelas pessoas que justamente estavam aguardando algo do Nubank para fazer frente aos outros programas de recompensa do mercado.

Por outro lado, desagradará aqueles que entenderão como um retrocesso a cobrança de assinatura.

O Programa de Pontos Nubank Rewards ainda está em fase de testes com um conjunto limitado de usuários. Espera-se que o Nubank Rewards seja disponibilizado em breve para todos aqueles que se interessarem.

Se gostou do vídeo, por favor, não deixe de curtir e compartilhar.


Leia também:

Nubank será o primeiro unicórnio brasileiro?

Nubank ou Digio, o duelo dos cartões sem assinatura 
Nubank e o desconto à vista
Debêntures, o que são e como investir



quarta-feira, 21 de junho de 2017

Bancos cortam cartão e Fintechs podem se beneficiar

Grandes bancos estão cortando cartões de crédito de clientes com renda mais baixa. A princípio, essa notícia só demonstra grandes bancos agindo como grandes bancos.

Mas, com os novos players no setor financeiro, essa situação pode se traduzir em novas oportunidades para as fintechs.


Cartão de crédito BB


Segundo reportagem do Estadão (Fernando Nakagawa, 18.06.2017), os grandes bancos estão cortando os cartões de crédito daqueles clientes avaliados como sendo de maior risco. Basicamente clientes pertencentes às classes de menor renda.

De fato, de acordo com o relatório de análise do desempenho do BB 1T17, a base de cartões de crédito do Banco do Brasil em março/2016 era de 22,2 milhões.  Em março/2017, esse valor encolheu para 17,1 milhões de cartões.

Pesquisando o relatório do Banco Itaú Análise Gerencial 1T17,  observa-se que este banco possuía 33,2 milhões de cartões de crédito no primeiro trimestre de 2016, recuando para 28,9 milhões no primeiro trim. de 2017.

Ainda segundo a reportagem, conforme manifestação de executivos do setor, as instituições passaram a excluir os clientes mais arriscados de sua base de cartões como uma forma de compensação. Seria uma maneira de compensar a adequação às novas regras para o financiamento do saldo devedor do cartão de crédito impostas pelo governo (resolução 4549 do Conselho Monetário Nacional).

É claro que os grandes bancos vão sempre preferir disponibilizar cartões de crédito para clientes com perfil de menor risco. Os maiores inimigos dos emissores de cartão de crédito são a inadimplência e a fraude.  Quanto mais os bancos puderem mitigar esses riscos, mais eles o farão.

Por outro lado, agindo desta forma, os grandes bancos mais uma vez deixarão um contingente significativo de seus clientes insatisfeitos.  É justamente nesse ambiente de insatisfação com os nossos precários serviços bancários que surge o terreno fértil para as fintechs.  Tais empresas, atuando com uso intensivo de TI no setor financeiro, surgem e se desenvolvem trazendo melhores soluções e serviços para quem anseia por isso. Senão vejamos:



Fintechs que surgem das lacunas deixadas pelos grandes bancos

  • Cartão de crédito com cobrança de anuidade: Surge o Nubank com seu cartão de crédito sem taxas, totalmente controlado por aplicativo de celular. Há ainda o Pag! com seu cartão sem tarifa e conta digital, dentre outras soluções.
  • Altíssimo spread bancário: Surgem empresas ligando investidores a quem precisa de dinheiro, as companhias de empréstimo ponto-a-ponto, como a Biva e a Nexoos.
  • Gerentes de banco vendedores de produtos: Surgem startups oferecendo carteiras de investimentos monitoradas por robôs, como a Magnetis, Warren e Vérios.
  • Bancos oferecendo somente seus produtos: Surgem os buscadores de investimento, como o Yubb e o Renda Fixa, os quais apresentam diversas opções de aplicações financeiras das mais variadas instituições.

E quanto ao problema apontado no início do post, dos clientes de mais baixa renda sendo expurgados de seus cartões de crédito pelos bancos?

Uma possível solução encontra-se em teste pelo Nubank, que seria a concessão de cartão de crédito mediante um depósito caução. 

Nubank cartão de credito depósito caução


Outras soluções podem surgir: quanto mais insatisfação, mais chance de alguma startup aparecer com novas soluções para problemas antigos.


Veja também:

Programa de Pontos Nubank em fase final de testes, veja se vale a pena

Nubank Programa de Pontos

Leia também:

Nubank será o primeiro unicórnio brasileiro?

Nubank ou Digio, o duelo dos cartões sem assinatura 
Nubank e o desconto à vista
Debêntures, o que são e como investir


sábado, 17 de junho de 2017

Juros do Cartão de Crédito

Muito se fala de taxa de anuidade, programas de recompensa, bandeiras e limites dos cartões, mas pouca atenção é dada aos juros do cartão de crédito, na casa dos 400%. Deixe de pagar a conta em dia e contraia uma dívida com os maiores juros do planeta.


Juros cartoes de credito 
Os juros do cartão de crédito no Brasil são tão exorbitantes que sempre são apresentados como uma taxa mensal, e não de forma anual. Em contrapartida os rendimentos de aplicações financeiras são sempre dados na forma de taxas anualizadas. 

Para se ter uma idéia das taxas de juros dos cartões de crédito do mercado em termos anuais:

  • Nubank: Juros até   381% a.a.
  • Itaú:                        441% a.a.
  • BB:                          487% a.a.
  • Bradesco:                557% a.a.
Isso dá uma idéia do quanto é abissal a diferença entre o que se paga de juros a quem investe em renda fixa e o quanto se cobra de juros em dívidas no cartão de crédito.  Vamos tentar deixar isso ainda mais palpável.

Pegaremos o cartão fictício abaixo:
  • Juros do rotativo do Cartão de Crédito: 13% ao mês.  Isso equivale a 333% ao ano.
E, considerando o cenário atual da Renda Fixa abaixo,
  • Tesouro Direto Prefixado 2020 (LTN), taxa de rendimento: 9,59% ao ano.
  • CDB com vencimento em 185 dias. Taxa 104% CDI. Considerando o CDI na casa dos 10%, a taxa desse CDB seria de 10,4% a.a.
  • CDB com vencimento em 5 anos. Taxa 119% do CDI. Hoje seria uma taxa anual próxima a 12%.
  • Existem debêntures pagando IPCA+10%.  Arredondando o IPCA para 4%, teríamos, a grosso modo, uma taxa de 14% ao ano.


Faremos uma comparação com uma aplicação financeira hipotética que renda 1% ao mês. 


Juros do Cartão de Crédito x Juros da Renda Fixa


  • Mil reais em nossa aplicação por 60 meses, a 1% ao mês, se tornarão 1816 reais.
  • Mil reais recebendo os juros equivalentes aos que são cobrados no cartão de crédito (13% a.m.) chegam a espantosos um milhão e 500 mil reais em 5 anos. Ou seja, uma dívida de mil reais no cartão de crédito se tornaria uma dívida de um milhão e quinhentos mil reais em 5 anos!


O gráfico dá uma ideia da diferença de grandeza desses valores.
Renda fixa e juros do cartão de crédito

Investindo em renda fixaa 1% ao mês, para conseguir esse valor de um milhão e meio de reais, precisaríamos de 734 meses ou 61 anos.   

Dentre as tarifas que os cartões de crédito podem cobrar, temos:

  • anuidade,
  • emissão de segunda via do cartão,
  • por saque de dinheiro com o cartão,
  • pagamento de contas com o cartão,
  • pedido de avaliação emergencial do limite de crédito,
  • envio de SMS quando do uso do cartão

E atenção: 

Não há limite máximo para as taxas de juros cobradas pelas emissoras de cartão de crédito.  Elas são livremente pactuadas entre as instituições financeiras e os clientes.

Para saber mais, consulte a FAQ sobre cartões do Banco Central.



Resumo da ópera:

É muito bom fugir de tarifas e é fundamental pagar em dia o cartão de crédito.  A pior dívida que se pode contrair é a do cartão. Se a dívida for inevitável é preciso buscar alternativas que cobrem juros menores (empréstimo com garantia, crédito consignado etc).


Veja também:

Programa de Pontos Nubank em fase final de testes, veja se vale a pena

Nubank Programa de Pontos

Leia também:

Nubank será o primeiro unicórnio brasileiro?

Nubank ou Digio, o duelo dos cartões sem assinatura 
Nubank e o desconto à vista
Debêntures, o que são e como investir


Tesouro Direto e as taxas do BB, Itaú e Bradesco



quarta-feira, 14 de junho de 2017

Programa de Pontos Nubank Rewards e Depósito Caução

O Nubank, com seu cartão de crédito sem custo e de gestão completa por meio de celular, já conquistou centenas de milhares do usuários. É um dos expoentes das startups brasileiras e a fintech de maior sucesso em solo brasileiro.  Mas ainda falta conquistar dois grandes grupos de possíveis clientes.


Uma das críticas ao cartão roxo do Nubank se refere à ausência de um programa de pontos. Clientes com gastos mensais no cartão acima de dois mil reais, costumam fazer bom uso dos programas de fidelidade e de milhagem tradicionais. Essa lacuna no cartão Nubank acaba por afastar clientes com esse perfil.

Um outro grande grupo merecedor de atenção diz respeito a aqueles que não são aprovados para possuir um cartão Nubank.  Podem ser pessoas com pouco histórico de crédito ou negativadas e que, por esses ou outros motivos, pontuam baixo nos algoritmos do Nubank, a ponto de não serem aprovadas.


Programa de Pontos Nubank Rewards

De olho no público heavy-user de cartão, o Nubank já preparou um programa de pontos chamado de Nubank Rewards, o qual está em testes desde setembro/16. Deste programa de recompensas, podemos destacar:
  • Cobrança de anuidade de 190 reais (ou doze parcelas de 19,00).
  • Cada real é trocado por um ponto e os pontos adquiridos nunca expiram.
  • Não há empresas intermediárias para a utilização dos pontos. Ou seja, não é preciso transferir os pontos para um Smiles ou Múltiplus, por exemplo, para então poder utilizá-los.
  • Os pontos podem ser usados para "apagar" despesas na fatura relativas à viagens e hotéis e despesas com parceiros do programa (mensalidades Netflix e Spotify e corridas UBER).
  • A adesão ao programa Nubank Rewards é voluntária. A mesma começa a fazer sentido para aqueles que costumam gastar acima de 2 mil reais por mês.
Veja um pouco do Programa de Pontos Nubank Rewards nos vídeos abaixo da própria Nubank:






Depósito caução

O Nubank vem consultando candidatos a clientes do seu cartão sobre haver interesse em receber o cartão de crédito em troca de um depósito caução.

Essa seria uma alternativa para o programa de recompensas conseguir absorver pessoas que gostariam de ter o cartão mas que estão tendo seus pedidos negados em função de uma baixa pontuação nos algoritmos do Nubank.

Na figura abaixo o Nubank informa a possibilidade de concessão de um cartão com limite de 500 reais mediante um depósito caução de 250 reais.

Nubank rewards deposito caucao


Atuando nessas duas frentes, a dos usuários intensivos de cartão e a dos clientes que tiveram crédito negado e que poderão vir a ser aceitos mediante depósito caução, o cartão Nubank vai se tornando cada vez mais completo, conseguindo tratar diferentes públicos de diferentes maneiras:

  • Usuários intensivos de cartão:  Podem optar pelo programa de pontos Nubank Rewards
  • Millenials (nascidos após 1980):  Cartão sem taxas, aplicativo de celular que resolve tudo
  • Pessoas não aprovadas: Opção do depósito caução para poder usufruir o cartão

Veja também:

Programa de Pontos Nubank em fase final de testes, veja se vale a pena

Nubank Programa de Pontos

Leia também:

Nubank será o primeiro unicórnio brasileiro?
Nubank ou Digio, o duelo dos cartões sem assinatura 
Nubank e o desconto à vista
Debêntures, o que são e como investir

Tesouro Direto e as taxas do BB, Itaú e Bradesco







segunda-feira, 12 de junho de 2017

Nubank será o primeiro unicórnio brasileiro?

 Unicórnios.  Assim são chamadas as startups quando chegam a atingir um bilhão de dólares em valor de mercado. 



 O Nubank, com seu cartão de crédito sem anuidade controlado por aplicativo de celular, pode se tornar o primeiro unicórnio brasileiro.


Nubank unicornio

 A revista de negócios e economia Forbes publicou recente levantamento das 197 companhias de tecnologia de capital fechado mais valiosas do planeta, todas com valor de mercado acima de um bilhão de dólares.

 As 5 mais valiosas são:
  1. Uber, com seu valor de mercado de $68 bilhões;
  2. Didi Chuxing ($50 bi), é  a "Uber" da China;
  3. Xiaomi ($46 bi), empresa chinesa de produtos eletrônicos;
  4. Airbnb ($29 bi), empresa americana de serviços de hospedagem;
  5. Palantir ($20 bi), empresa de software e serviços americana.
 A pesquisa também apontou como é a concentração das empresas unicórnio pelo mundo:
  • 54% destas estão nos Estados Unidos;
  • 23% na China, 4% na Índia, 4% na Inglaterra, 2% na Alemanha e 2% na Coréia;
  • Nenhum outro país no mundo possui 3 ou mais empresas privadas de capital fechado com valor acima de $1bilhão.


Empresas disruptivas

 Muitas dessas empresas apresentaram inovações disruptivas, trazendo produtos ou serviços que mudaram seus mercados de forma marcante, desestabilizando concorrentes que até então dominavam seus segmentos antes da transformação. 

 Geralmente as empresas disruptivas apresentam algo mais simples, mais barato e que atende melhor.  Pensar no que a Uber, Netflix ou Airbnb fizeram com seus mercados talvez seja a melhor forma para tornar mais claro o conceito de organização disruptiva.


Candidatos a unicórnio no Brasil

 Outras empresas brasileiras também estão no páreo para se tornarem unicórnios:
  • Movile, fundada em 1998, trabalha com serviços móveis e entretenimento na América Latina. Poucos conhecem a Movile, mas muitos usam seus aplicativos como o de entrega de comida iFood e o de conteúdo para crianças Playkids. A companhia também é dona dos sítios apontador e maplink.
  • PSafe, do ramo de segurança digital. Seu aplicativo gratuito de segurança para celulares possui mais de 20 milhões usuários mundo afora.
  • 99. Concorrente do Uber, a 99, fundada em 2012, já recebeu aportes de mais de 200 milhões de dólares de investidores como o SoftBank, a Riverwood Capital e a Didi Chuxing (a "Uber" chinesa).
 Apostando no Nubank, estão os fundos de investimento Sequoia Capital, Kaszek e Tiger Global Management, dentre outros.  O Sequoia Capital investe em empresas como Google, Apple, Youtube e Instagram.


Unicórnios Hermanos

 A Argentina, na virada do milênio, passando por grande crise econômica, conseguiu se tornar celeiro de unicórnios como Mercado Livre, Decolar.com e OLX, empresas inovadoras que souberam se expandir na América Latina. Até então, eles parecem estar fazendo melhor o dever de casa.


Mas qual a importância de se ter um unicórnio brasileiro, afinal?

 A chegada de uma empresa de tecnologia brasileira no seleto grupo das que valem mais de um bilhão de dólares teria o efeito de projetar o país no cenário internacional, atraindo mais o olhar dos fundos de investimentos externos para as startups brasileiras.  Esse sucesso também poderia motivar mais empreendedores, mais inovações e o surgimento de mais startups em terra brasilis.

terça-feira, 6 de junho de 2017

Desbancarização, melhores serviços e o Tesouro Direto

Desbancarização é o processo de libertar o investidor para além das aplicações financeiras disponíveis nos grandes bancos. É ter produtos e serviços mais vantajosos à disposição. Soluções mais completas e personalizadas. 


Desbancarizacao liberdade financeira


Nessa esteira da desbancarização é que vemos surgir as fintechs, empresas atuando no mercado financeiro com uso intensivo de tecnologia da informação, e as suas soluções mais interessantes.  Temos fintechs oferecendo cartões de crédito sem anuidade, como é o caso do Nubank, de empréstimos ponto-a-ponto (p2p lending), como a Nexoos e a Biva, ou ainda disponibilizando investimentos automatizados (por ex. Vérios e Magnetis).   


Vivemos tempos em que corretoras, como a XP, Easynvest, Clear ou Rico, oferecem melhores produtos e melhores taxas que os grandes bancos. Cenário montado para os buscadores de investimentos brilharem: o yubb e o renda fixa, espécies de trivago e booking.com do mercado financeiro, popularizam os investimentos, dando mais transparência e visibilidade das aplicações financeiras aos pequenos e potenciais investidores. 


E por aí vai, a lista é extensa, já passam de duzentas fintechs, em diferentes estágios de maturação, atuando no mercado brasileiro.


Esse processo de desbancarização, de se oferecer melhores soluções para o investidor, é irreversível. Mas os grandes bancos não ficarão para trás:  

  • Bradesco e BB lançaram o cartão de crédito sem anuidade Digio para competir com o Nubank,
  • Itaú mordeu quase metade da XP, até então a corretora que mais fazia uso da palavra desbancarização.
  • Bradesco recém lançou o Banco 100% digital Next.
  • Itaú tem o seu centro de empreendorismo Cubo, dentre outras tantas iniciativas dos nossos bancões, intimados a se mexer e entrar na dança.  Ninguém vai largar o osso fácil. 

 

Ainda assim, o poderio dos principais bancos do país segue muito, muito grande. Um exemplo é o Ranking das Instituições Financeiras  do Tesouro Direto por Número de Transações de Investimento (abril de 2017).  Tal lista está disponível no sítio do Tesouro Direto.

 

Ranking Maiores Investidores no TD

  1. Easynvest
  2. Rico CTVM
  3. XP Investimentos
  4. Itaú
  5. BB Banco de Investimento
  6. Caixa Econômica Federal
  7. Bradesco
  8. Clear CTVM
  9. Santander CCVM
  10. Ágora CTCM 

 

Sobre o ranking:

A XP comprou a Clear em 2014 e a Rico em 2016. Um peixe maior apareceu: o Itaú adquiriu 49,9% da XP por 6,3bi de reais, com o compromisso de adquirir mais 12,5% da companhia em 2020. Ou seja, em três anos, as posições 2, 3, 4 e 8 terão um único dono.  O Bradesco comprou a Ágora em 2008, e ensinou ao Itaú tudo o que este último não deve fazer com a XP.  Posições 7 e 10 com o nosso bancão BRA.  Com o BB, Caixa e Santander respondendo pelas posições 5, 6 e 9, sobra a Easynvest, nesse playground dos bancões.  

 

Consultando outra lista do Tesouro Direto, a das instituições financeiras habilitadas, temos as taxas cobradas por instituição (dados de 01.06.2017), das quais destacamos:

  • BB: 0,50%
  • Itaú: 0,50%
  • Santander:0,40%
  • Caixa: 0,40%
  • Bradesco: 0,50%

Ou seja, muitas pessoas aplicam no Tesouro Direto por meio de grandes bancos, pagando taxas as quais poderiam não estar pagando, haja vista que muitas corretoras não cobram (como a Easynvest, por exemplo).  Até mesmo os desavisados que iniciaram suas aplicações no TD por meio desses bancos, poderiam realizar o procedimento de portabilidade da custódia dos títulos, sem precisar resgatá-los num processo rápido, fácil e indolor.   

Enfim, os grandes bancos, mesmo sendo ruins e caros, ainda conseguem se manter intermediando investimentos de forma a desafiar a racionalidade, seja por inércia, seja por desconhecimento do investidor médio. 

Agora voltando às startups fintechs, o futuro talvez não seja necessariamente o do embate contra os grandes e tradicionais bancos: As startups tem ideias e precisam de dinheiro, os bancos tem dinheiro e precisam de ideias.  Desse "casamento" de ativos, diversos desdobramentos podem surgir.

 

Programa de Pontos Nubank em fase final de testes, veja se vale a pena

Nubank Programa de Pontos


Leia também:

Nubank ou Digio, o duelo dos cartões sem assinatura 
Nubank e o desconto à vista
Debêntures, o que são e como investir
Como abrir uma conta digital Intermedium

Tesouro Direto e as taxas do BB, Itaú e Bradesco




terça-feira, 23 de maio de 2017

Nubank rewards, programa de pontos

Nubank Rewards, o programa de pontos do Cartão Nubank.


Programa de Pontos Nubank Rewards

O Nubank, fintech brasileira do cartão de crédito sem anuidade, segue junto a alguns usuários com testes de seu programa de recompensas. Pelas informações disponíveis, já é possível prever para quem o programa de fidelidade poderá ser atraente.

Nubank Rewards

A principal bandeira da Nubank é a de apresentar produtos diferentes de todos os outros, se destacando pela facilidade de utilização, transparência e eficiência.  Vamos ver se isso está sendo conseguido com o programa de pontos do cartão Nubank.


Como funciona o Nubank Rewards?

Das características do programa, temos:


  • O custo da assinatura anual será de R$190,00, à vista, ou 12 vezes de R$19,00.
  • Para cada real pago, é gerado um ponto, o que traz mais simplicidade por não envolver percentual de dólar;
  • Esses pontos nunca expiram. Algo que se destaca, pois nos outros programas de fidelidade, os pontos/milhas expiram em dois, três anos.  
  • Os pontos não precisam ser trocados, ou seja, não é preciso migrar os pontos para um serviço de terceiros como o Multiplus ou Smiles, para então usá-los efetivamente.  É só usar o aplicativo do cartão no celular, escolher a linha da despesa e apagá-la. Mais simplicidade;
  • Os pontos são acumulados em tempo real, não sendo preciso esperar o fechamento de faturas nem o pagamento destas;
  • Os pontos podem ser usados para apagar valores da fatura relativos às despesas com determinados parceiros;
  • Despesas com vôos e hotéis também podem ser apagadas.

 

Qual é o cashback?   Qual valor retorna ao cliente?


Veja essa e outras formas de desconto no wikipedia.



Mostraremos a seguir que o retorno ao cliente na forma de crédito na fatura fica na casa de um por cento do valor gasto com o cartão:


Para as despesas com voos e hotéis:

Para cada 10000 pontos é possível apagar gastos de 100 reais.


Para pagamento de parceiros:

Netflix: 2.000 pontos apagam uma mensalidade, na casa de R$ 20,00

Spotify:  assinatura mensal é apagada da fatura do cartão com 2500 pontos.  (Plano premium R$ 16,90, Plano premium familiar R$ 26,90)


UBER: uma viagem entre 10 e 25 reais é apagada com 3100 pontos.



Ou seja, de forma geral, com um gasto médio no cartão na casa de R$1.584,00 mensais e fazendo uso da pontuação para pagar passagens aéreas e hospedagem, você fica no zero a zero. A partir desse valor, o programa de recompensa Nubank começa a ficar interessante.



Outro exemplo, se você for assinante Netflix gastando mais de 2 mil reais por mês no cartão, o mesmo também valeria a pena.  Desta foram, ao ano, seriam 240 reais de pagamento para a Netflix apagados de suas faturas ao custo de uma assinatura de 190 reais do programa.


Importante lembrar:


No caso de não ser interessante fazer a assinatura no programa de pontos Nubank Rewards, é só seguir a vida com o não tão velho e bom cartão Nubank, sem tarifas e nem anuidade.

Veja aqui a facilidade do Cartão Nubank de antecipar o pagamento de compras parceladas com desconto

Antecipação pagamento de parcelas Nubank


Resumo da ópera:

O programa de fidelidade Nubank Rewards pode ser interessante para pessoas com gastos no cartão na casa de 2 mil reais, que costumam viajar e/ou fazer uso dos serviços UBER, Netflix e Spotify.

As vantagens dos pontos nunca expirarem e de não ser preciso migrar a pontuação  para um outro serviço de terceiros, como o Smiles ou o Múltiplos, são os maiores diferenciais desse programa de recompensas do Nubank.

O número de parceiros do programa (Netflix, UBER e Spotify) ainda é muito pequeno.

Assim, as compras que podem ser apagadas da fatura são somente as referentes a hotéis, passagens aéreas e os parceiros Netflix, UBER e Spotify.

A facilidade do uso dos pontos, simplesmente "apagando" a linha de despesa no aplicativo do celular segue bem o espírito de descomplicação característico do Nubank.

No geral, talvez o Nubank tenha "acostumado mal" seus clientes e, por isso, boa parte deles deverá sentir um gostinho de quero mais do tão esperado programa Nubank Rewards. Por outro lado, existem também aqueles que não estavam usando o Nubank ainda pela falta, agora em vias de ser sanada, de algo equivalente a um programa de milhagem.

Veja o vídeo da Nubank sobre como apagar os gastos de sua fatura com os pontos do cartão de crédito.