Imposto de Renda, a mordida nas aplicações financeiras

sexta-feira, 17 de março de 2017

Imposto de Renda, a mordida nas aplicações financeiras

O IR incide de diferentes formas sobre os diferentes investimentos.  Convém ficar atento para não queimar possíveis ganhos. 

O imposto de Renda é uma importante fonte de arrecadação para o governo seguir nos garantindo educação, saúde, infraestrutura etc. Veja aqui como algumas das aplicações são tributadas.


Tesouro Direto


O IR incide de forma regressiva:

  • 22,5% do rendimento até 180 dias na venda antecipada do título ou no pagamento de cupons
  • 20,0% do rendimento do dia 181 até 360 dias
  • 17,5% do rendimento do dia 361 até 720 dias
  • 15,0% do rendimento após 720 dias.

O IR incide nos pagamentos dos juros semestrais dos Títulos do Tesouro Direto com essa característica conforme a lista acima.

CDB

Os Certificados de Depósito Bancário pagam alíquota do IR de maneira análoga ao Tesouro Direto: 22,5% do rendimento para investimentos de até 180 dias; 20% para aplicação entre 181 e 360 dias; 17,5% para o período de 361 a 720 dias e 15% para 721 ou mais dias.

LCI e LCA

As Letras de Crédito Financeiro e Agropecuário são isentas de IR, por enquanto.


Poupança

Isenta de IR, a poupança mesmo assim é uma aplicação que está rendendo pouco, às vezes ficando até abaixo da inflação.


Debêntures 

Existem as debêntures incentivadas, emitidas por empresas que pretendem realizar projetos de infraestrutura (estradas, portos, aeroportos etc) e as debêntures comuns.

Rendimentos sobre debêntures incentivadas não pagam Imposto de Renda (esse é o incentivo para que se invista nelas).  Já as debêntures comuns possuem tributação do IR igual os CDBs.

Ações

Para vendas abaixo de 20 mil reais por mês, investimento isento.
Vendeu mais de 20 mil no mês ?  IR de 15% sobre o lucro, a exceção das operações de day trade, cuja a alíquota é de 20%.


Pérola de Sabedoria: Um investimento não é necessariamente melhor que outro por ser isento de IR. Essa característica é somente mais uma variável a ser considerada.

Por exemplo: Para aplicar 10 mil reais pelo prazo de um ano temos duas opções:
  1. Uma debênture incentivada com taxa de 10% a.a.
  2. Uma debênture comum com taxa de 12% a.a.


Qual seria a opção mais atraente ?    
Rentabilidade em um ano:
  1. 1.000,00
  2. 1.200,00 - 22,5% = 930,00   


E se fossem 3 anos ?
Rentabilidade em três anos:
  1. 3.310,00
  2. 4.049,00 - 15% = 3.441,00


Para um ano, a debênture incentivada (1) valeria mais a pena. Já para 3 anos, a debênture comum (2) apresentou melhor rentabilidade. A mudança sobre qual debênture é mais interessante com o passar do tempo refletiu o fato do IR ser regressivo para esse investimento.


 

Leia também:


cobrança do imposto de renda

  

Nenhum comentário:

Postar um comentário