Aposentadoria: PGBL ou VGBL?

quarta-feira, 22 de março de 2017

Aposentadoria: PGBL ou VGBL?

PGBL ou VGBL? O preço de errar por 20 anos pode ser muito alto.

 

O Plano Gerador de Benefício Livre e o Vida Gerador Beneficio Livre são duas modalidades de produtos de previdência privada disponíveis no mercado para complementação de aposentadoria.


O PGBL permite abater da base de cálculo do Imposto de Renda os aportes realizados no plano até o limite anual de 12% da renda bruta do investidor, desde que seja usada a declaração completa do imposto.  

Nesse caso, o IR será cobrado em cima de todo o valor aportado quando da sua retirada, de forma integral ou na forma de renda.  No fim das contas, você só adia a incidência do IR.

Uma vez que as contribuições ao VGBL não podem ser deduzidas do IR, ele seria uma opção mais adequada para aqueles que fazem a declaração simplificada. No VGBL, o IR incide somente sobre a parte do rendimento, no momento do resgate ou do recebimento mensal da renda.


PGBL:
Para quem faz declaração completa do IR. 
 
VGBL:
Para quem faz declaração simplificada do IR ou é isento ou deseja investir mais do que 12% de sua renda bruta anual.


Opções de tributação:  
Definem as regras e alíquotas do IR que irão incidir sobre a previdência, podendo ser tributação regressiva ou progressiva.


Tributação PGBL e VGBL

Regressiva: no momento do resgate ou do recebimento da renda, o IR a ser cobrado é inversamente proporcional ao prazo do investimento, partindo de 35% (prazo de até 2 anos) e decrescendo até 10% (período maior que dez anos). 
 
taxa IR previdencia PGBL VGBL
Tabela regressiva do IR

 
Progressiva: Para o recebimento mensal do benefício, as alíquotas do imposto seguem a tabela progressiva do IR  (abaixo).  Em caso de resgate, o IR é de 15%.  


tabela IR pessoa física pgbl vgbl
Reprodução de tabela do sítio da Receita Federal (acesso em 23.03.17)
 
A tributação progressiva é mais indicada quando:
  • Está faltando pouco tempo para a aposentadoria.
  • Benefício mensal abaixo dos 2.800,00 (alíquota até 7,5%). 

A tributação regressiva é mais interessante para aqueles que investirão por período superior a 10 anos, para se chegar a  taxa mínima de 10% do IR.
 

Portabilidade: É possível passar de um plano PGBL para outro plano PGBL, dentro ou fora da mesma instituição.
O mesmo vale para o VGBL. Só não é possível migrar de PGBL para VGBL e vice-versa. 


E qual é a composição desses produtos PGBL e VGBL ?

Por lei, pelo menos 51% em títulos de renda fixa. Existem os produtos mais conservadores, compostos exclusivamente por aplicações de renda fixa, e os balanceados, que além da renda fixa, investem também em renda variável como ações.
 
Benefícios de Renda:
Ao término da fase de captação dos recursos existe a possibilidade de saque único de todo o patrimônio.  

É possível o estabelecimento de renda mensal temporária, até o fim do prazo ou o falecimento do participante, o que ocorrer primeiro.

Outra possibilidade é a renda mensal de prazo determinado. Nesta opção, se o assistido falecer antes do término do prazo do benefício, os pagamentos passam para um ou mais beneficiários.


Da aplicação nos fundos:
Os fundos costumam ter um valor inicial de aplicação, uma contribuição mensal mínima, permitindo depósitos extras e uma forma definida de atualização da contribuição (geralmente anual pelo IPCA).
 

Fique atento:
Taxa de Administração: Valor percentual cobrado anualmente pela instituição que faz a gestão do fundo. 

Taxa de Carregamento: Valor descontado das contribuições visando cobrir despesas como corretagem e divulgação.  Nem todas as instituição cobram essa taxa, graças a Deus.


Taxa de Saída: Valor descontado nos resgates e na portabilidade.  Alguns bancos não cobram.


Resumo da Ópera:

Caso haja interesse em investir nesse tipo de produto:

- É preciso escolher PGBL ou VGBL. Outra possibilidade é ir com PGBL até o limite de 12% de abatimento da base de cálculo do IR e, querendo investir mais, complementar com VGBL.

- É preciso decidir a forma de tributação: regressiva ou progressiva.

- Vale buscar uma opção que não cobre taxa de carregamento nem de saída.  E que cobre uma taxa baixa de administração.  Qualquer pontinho percentual aqui fará diferença lá na frente.


Não fazer uma comparação com o Tesouro Direto?    
Pergunta muito pertinente. Essa comparação será feita em um futuro post.



Leia também:

2 comentários:

  1. Não achei o post complementar com a comparação da previdência privada x Tesouro Direto, ele foi publicado?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ana Luísa, será publicado em breve. Nele teremos uma comparação de investimento de 20 anos entre um dos melhores planos de previdência do mercado e o Tesouro Direto. Cadastre seu email no blog que saindo o post, você será avisada. Saudações.
      Alberto

      Excluir