Simular a rentabilidade do Tesouro Direto

sexta-feira, 3 de março de 2017

Simular a rentabilidade do Tesouro Direto


Dentre suas diversas informações e funcionalidades, o sítio do Tesouro Direto possui uma calculadora que permite simular a rentabilidade do Tesouro Direto a ser obtida em uma determinada compra.

 

A página Calcule a sua Rentabilidade apresenta inicialmente os títulos à venda para consulta, com suas datas de vencimento, a taxa de rendimento (% ao ano), o valor mínimo e o preço unitário do título. 

 

Destas informações, para a simulação de rentabilidade, será preciso o nome do título, sua data de vencimento e a taxa de rendimento (rentabilidade bruta).

compra titulo tesouro direto


Para fazer a simulação básica na calculadora do Tesouro Direto, primeiro é necessário escolher o título.

Se o título selecionado for Tesouro Prefixado, serão pedidas as informações mínimas para a simulação: data da compra, data do vencimento (a ser copiada da tabela anterior), o valor investido, a taxa do papel na compra (que é a taxa de rendimento da tabela anterior), a taxa de administração do banco/corretora (que hoje é zero em diversas corretoras como na Easynvest ou na Clear, por exemplo).

Da taxa de custódia, hoje em 0,3% ao ano, cobrada pela BM&FBovespa, não há como fugir.

Se o título a ser simulado for Tesouro Selic, além das informações anteriores, será pedida a Taxa Selic para o período (% a.a.).

Do mesmo modo, se for escolhido o Tesouro IPCA+ ou o Tesouro IGPM, será pedida a Taxa da inflação (IPCA) ou a Taxa IGPM para o período, também em % ao ano.

Por exemplo, simulando uma compra de mil reais em Tesouro IPCA+, com vencimento em 2035, igualando a Taxa de administração a zero e escolhendo a Taxa IPCA+ de 4,5%:

simulação de rentabilidade títulos tesouro direto


Temos o seguinte resultado:

tesouro direto rentabilidade


Observa-se que a rentabilidade bruta foi de 9,84% (linha 6).
Tal rentabilidade é obtida multiplicando-se o ganho da Taxa de Rendimento pelo ganho da Taxa IPCA
(1+0,0511)*(1+0,045) = 1,09839.

A Taxa líquida de 8,86% foi obtida ao se abater da Taxa de Rendimento mais o IPCA, as taxa de custódia e o imposto de renda do rendimento bruto.

Ao se descontar a inflação do período, temos o rendimento real da aplicação em 4,1% (a.a.).
(1,0886 / 1,045)
 
Alterando-se a taxa do IPCA para cima, é possível notar que o Título passa a render mais em termos nominais com o aumento da inflação, porém seu rendimento real diminui.  Ou seja, em termos reais, o melhor para esse título é uma inflação baixa.  

Deste modo, o fato do título ser remunerado pelo soma do IPCA mais a Taxa de Rendimento não significa que quanto maior o IPCA, melhor para se investir no título.  O titulo terá maior rentabilidade líquida sim, porém o seu valor real estará mais corroído pela inflação. O valor real, no final das contas, é o mais importante.

A simulação de todos os títulos do Tesouro Direto, sejam os prefixados, os pós-fixados e os TD IPCA+, em diferentes cenários, variando-se as taxas de juros, as taxas da inflação e as rentabilidades dos títulos, trazem boas informações para a escolha do melhor título para endereçar as diferentes necessidades e objetivos dos investidores.



Nenhum comentário:

Postar um comentário