O que são Debêntures e como investir

segunda-feira, 8 de maio de 2017

O que são Debêntures e como investir

O que são Debêntures?  Possibilidade de maiores rendimentos em renda fixa em tempos de queda dos juros.


Com a queda da Selic, investidores encontram nas debêntures alternativas de investimento mais rentáveis que os velhos e bons CDBs e Títulos do Tesouro Direto. Nesse cenário, vale aprender estudar sobre como investir em Debêntures.


Começando pelo começo, o que são Debêntures?

Debêntures são títulos de dívida emitidos por grandes empresas que buscam melhores condições no mercado para captação de recursos.


Do mesmo modo que investir no Tesouro Direto é emprestar dinheiro ao Governo e investir em CDBs é emprestar dinheiro ao banco emissor, investimentos em Debêntures são empréstimos feitos a grandes empresas mediante recebimento de juros.


Os recursos que as empresas recebem desta maneira podem ter finalidades diversas como financiamento de capital de giro, aquisição de maquinário, alongamento do perfil de dívidas ou expansão da produção.


Para essas companhias é bem mais vantajoso a captação de recursos por meio de debêntures do que a obtenção de linhas de crédito junto a bancos.  Realmente, a melhor coisa de se fazer com os grandes bancos é se tornar sócio deles.


As debêntures são chamadas de conversíveis, quando podem ser convertidas em ações da empresa emissora, ou simples, quando essa conversão não é possível.


Formas de rendimento das Debêntures

De forma equivalente aos títulos do Tesouro Direto, os rendimentos das Debêntures podem ser pré-fixados, pós-fixados ou híbridos:


  • Pré-fixados, quando a taxa de rentabilidade é conhecida no momento da aplicação.  Exemplo: Rentabilidade de 10% a.a.

  • Pós-fixados, quando o rendimento do título está atrelado a algum indicador como o CDI.  Exemplo: Rentabilidade de 104% CDI a.a.

  • Híbridos, quando o título tem uma parte fixa de rendimento e outra atrelada a um indicador, como o IPCA. Essa categoria é particularmente interessante para se ter alguma proteção da inflação em se tratando de um período longo de investimento. Exemplo: Rentabilidade de IPCA + 9% a.a.

Debêntures incentivadas x Debêntures comuns

As debêntures são incentivadas quando há isenção de Imposto de Renda sobre o rendimento das mesmas.  São debêntures de empresas que investem em ações de infraestrutura do país, como a construção de portos, estradas, ferrovias e aeroportos.  


Debêntures comuns são as restantes, aquelas que terão a mordida do IR em seus rendimentos conforme tabela regressiva, partindo de 22,5% para investimentos com duração entre 0 e 6 meses, passando por 20% e 17,5% para aplicações de 6 a 12 meses e de 12 a 24 meses respectivamente, chegando em 15%, após 2 anos de investimento.

Quem pode emitir Debêntures?

As debêntures podem ser emitidas por companhias abertas, sociedades anônimas com capital por ações. A emissão somente pode ser autorizada por meio de Assembléia Geral dos acionistas. Na sequência, é preciso elaborar uma escritura de emissão e registrá-la na Comissão de Valores Mobiliários (CVM).  Uma única emissão pode ter várias séries, como forma de casar o recebimento de recursos às necessidades da empresa.

Quais as vantagens em investir em Debêntures?

As debêntures apresentam maior rendimento que as demais aplicações em renda fixa.  Uma vez que a exposição a riscos é maior em se tratando de Debêntures, as empresas precisam oferecer condições de rentabilidade mais vantajosas para atrair os investidores.


As debêntures são também boas opções de médio e longo prazo para auxiliar na diversificação da carteira de aplicações financeiras de um investidor.  Atualmente (maio/17) existem opções de debêntures disponíveis com prazos de investimento de 2 a 12 anos.

Sendo aplicações de renda fixa, as condições de rentabilidade das debêntures já estão definidas no momento da aplicação, ou seja, já é sabido qual será o retorno do investimento lá na frente, quando do seu vencimento.


Investir em Debêntures também faz do debenturista um credor, já a aquisição de ações torna o investidor um sócio da organização.  Algumas vezes a posição de credor é mais confortável, por estar menos sujeita a variação do mercado.

Mais definições sobre debêntures podem ser encontradas no wikipedia.

Quais os riscos em se investir em Debêntures?

Aplicar em Debêntures expõe o investidor ao chamado risco de crédito, quando a empresa deixa de ter condições de arcar com suas dívidas e se torna inadimplente. Vale lembrar que o investimento em debêntures não tem a proteção do Fundo Garantidor de Créditos.


Para aumentar a segurança do investimento é importante conhecer o histórico de pagamentos da empresa, atentando também para sua saúde financeira atual e a conjuntura do mercado.  

Como investir em Debêntures? 

Além da rentabilidade envolvida, é necessário checar o prazo da aplicação e os riscos associados.  Procure uma aplicação que case com seus objetivos.  Como o risco não é desprezível, pense no pior caso e analise se o impacto é aceitável.  Alguns investidores lidam com isso alocando um percentual pequeno de suas aplicações em debêntures.

Para operacionalizar o investimento:
  1. Acesse os buscadores de investimento e verifique as debêntures disponíveis,
  2. Abra uma conta em uma corretora, veja aqui como escolher,
  3. Transfira o dinheiro, evitando pagar TED (como? sugestão aqui), 
  4. Invista.

E qual a diferença de rentabilidade entre uma dada Debênture e o Tesouro Direto?

Para comparar rentabilidades Debênture x Tesouro Direto, foi selecionada uma Debênture emitida pela CEMIG encontrada na corretora Easynvest e o Título do Tesouro Direto IPCA+ 2035 (NTN-B):


  • Debênture: emitida pela CEMIG,
  • Corretora: Easynvest,
  • Taxa: IPCA+9,3%,
  • Data de vencimento: 1379 dias.


Aplicando 10 mil reais, chega-se a uma quantia líquida no vencimento na casa de 15.391 reais.  Simulei o investimento no app Renda Fixa:

Debenture CEMIG Easynvest



Simulando uma aplicação no Tesouro Direto, Título IPCA+ 2035 (NTN-B), utilizando o mesmo número de dias e a mesma taxa de inflação, obtém-se o valor de 13.612 reais.



Simulação Tesouro Direto IPCA+ x Debenture




Simulação Tesouro Direto x Debenture



A rentabilidade no período da Debênture seria de 53,91% contra a rentabilidade do Tesouro Direto de 36,12%.


É claro que comparar investimentos não se limita a comparar rentabilidades. Não se pode esquecer que a liquidez e a segurança do Tesouro Direto não encontra paralelo no mundo das Debêntures.  


Resumo da ópera:

No rol de aplicações de renda fixa as debêntures costumam apresentar melhores rendimentos. Nada mais natural, uma vez que trazem consigo mais riscos. Pode ser uma aplicação interessante no intuito de se obter uma maior diversificação da carteira de investimentos.  Aprecie com moderação.


Veja também:

Certificados de Operações Estruturadas (COE), vale a pena? 
Como abrir uma conta digital Intermedium 
Fintechs e Rentabilidades de até 26% a.a. 
Nota fiscal e crédito em conta 
Em que investir? 


Nenhum comentário:

Postar um comentário